Pesquisa da UnB analisa grupos masculinos no whatsapp

13.07.2020

Depois de anos pesquisando sobre masculinidades, a professora do departamento de Psicologia Clínica da Universidade de Brasília (UnB), Valeska Zanello decidiu fazer um estudo sobre o material compartilhado dentro de grupos do whatsapp, exclusivamente de homens heterossexuais.

A professora, que é autora do livro “Saúde Mental, Gênero e Dispositivos", recebia prints enviados por homens "espiões" e a partir deles, analisou a misoginia presente nesses grupos masculinos.

Valeska afirma que esses grupos são uma espécie de tecnologia de gênero e um sintoma da nossa cultura, onde a masculinidade ainda é hegemônica. Segundo a pesquisadora é comum serem compartilhadas fotos e vídeos de mulheres, a maioria deles pornográficos.

Com base nas mensagens trocadas entre os participantes, a pesquisadora observou o quanto a masculinidade é pautada na objetificação sexual das mulheres e em ideais misóginos.

— A objetificação é a transformação do outro em coisas. Transforma a mulher em bunda, peito, vagina. Ela não é um sujeito — explica Valeska.

Um artigo com os resultados da pesquisa será publicado no livro “Gênero em Perspectiva”, que será lançado, ainda neste ano, pelo Instituto Federal de Brasília (IFB).

 

Leia mais

Please reload

Posts Em Destaque

EPCC Brasil disponibiliza eventos científicos sobre comunicação, cultura e informação

07.08.2020

1/4
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo